Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Myriam Castro em Sab Ago 23, 2008 8:18 pm




Ele Observava ... E Ele Aguardava p.2

Texto original em inglês de Tashira


"Todas as ações carregam uma reação, algumas boas, outras más;
O que é importante, é por que elas ocorrem, e quais eram as intenções."

Leittenel Oprion -
Professor da Academia de Tarn Vedra


A imagem foi ficando mais clara, à medida em que Dylan sacudia a cabeça. Ele não sabia quem ou o que o tinha derrubado, mas tinha certeza que não deixaria acontecer novamente!
Ele tentou erguer-se, suas mãos sentindo o leito macio, e já ia resmungando que aquilo fora longe demais, quando ouviu um sibilo eletrônico familiar e sentiu uma lança de força pressionada contra seu peito. Seus olhos se ajustaram à penumbra, e ele examinou o homem à sua frente. A despeito de estar vestido em couro, com os longos cabelos caindo-lhe sobre os ombros, era indubitavelmente ele mesmo ... com uma aparência mais cansada.
Ele empurrou a lança de força, e esfregou o queixo onde o outro o atingira. Perguntou se precisava bater tão forte - outro traço em comum - ao que o outro, reconhecendo nele um dos homens que vira no bar horas antes, respondeu-lhe que simplesmente não gostara do acompanhante que estava com ele ... Elysian.
Ele não era um sujeito bem-vindo. E guardou a arma, dizendo que isso não era mais problema. Indagado sobre o que fizera, explicou apenas que também não gostara da resposta dada à sua pergunta.
Dylan levantou-se da cama improvisada, avisando que Elysian podia fazê-lo pagar por isso mais tarde ... já que ele não era fácil assim de eliminar. O outro sabia, mas, dando de ombros, mostrou que não se importava. Aquela não era a primeira vez. Dylan comentou então que ele não era exatamente o que esparava, e seu duplo retrucou que começara o dia com a promessa de uma "boa caçada" ... só não imaginava que seria "outro Dylan Hunt".


Última edição por Myriam Castro em Qui Nov 13, 2008 11:53 am, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Myriam Castro em Sab Ago 23, 2008 9:24 pm

Continuando ....

Dylan então expressou o absurdo daquela situação: dois Paradines num só lugar, ao mesmo tempo ... qual seria a razão para isso? Elysian podia ser petulante, misterioso e muito, muito irritante, mas geralmente tinha um motivo. O outro pensou logo em dinheiro, embora já tivesse o palpite de que o tal motivo era "para o bem de todos". Mas, no fim, estariam por conta própria. Levantou-se e ia sair, quando um disparo de lança de força explodiu no chão, centímetros além do seu próximo passo (mas, como? O cara tinha outra arma escondida!).
Dylan continuou com a arma apontada, e o outro sacou a sua.
Dylan olhou seu alter-ego bem nos olhos, e lhe disse que precisavam fazer o que Elysian lhes pedira. No silêncio que se seguiu, nenhum dos dois se moveu, nenhum dos dois queria mostrar fraqueza.
Então, depois de 15 minutos, o duplo disse que, se ouvisse Elysian, ia "morrer" novamente, e não estava muito interessado nessa opção. E muito menos queria outro daqueles enigmas ...
Mas Dylan argumentou que, se não trabalhassem juntos, ambos morreriam, e não era só isso ... tudo e todos que eles conheciam deixariam de existir: amigos, família, Andromeda, Saoirse. Suas entranhas se revolveram quando notou a expressão no rosto do seu duplo à menção do nome de Saoirse.
Ele podia ser diferente, podia estar endurecido com tudo o que acontecera, mas aparentemente ainda tinha um lado sensível - em algum lugar, bem no fundo ...
O alternativo ficou em silêncio. Mas como ...? Ele conhecia Saoirse! Como diabos ele a tinha encontrado? Estaria ela bem?
Dylan aguardava uma resposta. Ele guardou a arma, e perguntou o que tinha que fazer.
Elysian sorriu. Gostou da tática de Dylan. Mas o tempo era curto, e havia muito a fazer.
E a bordo da Andromeda ...
Trance sentou-se ao lado de Saoirse e colocou ambas as mãos nos ombros trêmulos. Com voz suave, ela disse que Dylan voltaria para ela. Disso podia ter absoluta certeza. E todos ali estariam sempre com ela. Saoirse balbuciou que eram todos bens amigos, e ia precisar muito de apoio naquele momento tão difícil ... Ela não notou a preocupação que passava pelo rosto cintilante da outra. Trance havia sentido o contato de Dylan com seu "eu" alternativo, e sabia o quanto isso o perturbara ... como ela reagiria se soubesse que o "seu" Dylan ainda estava vivo? E como Dylan reagiria se soubesse que ela poderia um dia descobrir?
Dylan observava enquanto Bruiser ("Esfolador") - como ele o tinha sarcasticamente apelidado - estava ocupado separando armas e equipamentos para a missão. Ele repetiu o que Dylan dissera, que seriam necessários "os três" para que o Motor da Criação funcionasse. Queria saber quem eram esses "três", e onde poderiam encontrar o Motor. Dylan respondia de forma enigmática, com "Sim ... e não." e aquilo já o estava irritando.
Pois bem, ele ia ajudar, sim, desde que, depois de concluída a missão, Dylan o ajudasse a resolver o problema com Salko. Ele explicaria tudo depois.
E quanto aos "Três" ... Dylan explicou então que ele, Bruiser, era um deles, e que os outros dois eram Rommie e Trance. Bruiser não gostou muito de ouvir falar em Trance, mas Dylan, sabendo bem o porquê, esclareceu que era "outra" Trance ... sim, havia mais de uma, pois ela tinha a capacidade de dissociar-se em quantas quisesse, tanto simultaneamente, como em tempos e realidades diferentes. Ela surgiria espontaneamente, quando a hora chegasse.
Quanto a Rommie ... bem, ela era a avatar da Andromeda Ascendant.
Bruiser estranhou, pois na sua realidade, Andromeda nunca tivera um avatar. Mas Dylan confirmou que o tinha na sua dimensão, e que a alternativa com certeza estaria por ali, em algum lugar. Só restava então, encontrar as partes do Motor da Criação, localizar Rommie, esperar por Trance e ...
Para Bruiser, não partecia tão simples quanto Dylan dizia. Pois eles não tinham idéia de onde encontrar as partes naquele "buraco do Inferno". Porém, ele tinha muitos contatos por ali, e bastou uma descrição física para que rapidamente conseguissem uma pista. Foi-lhes informado que que tal pessoa era a curadora do "Museu de Ingenuidade Seamus Harper". Dylan arregalou os olhos. "O quê??" Ele disse que conhecia bem Harper, e, sorrindo, arrematou que fazia questão de ver aquilo.


Última edição por Myriam Castro em Qui Nov 13, 2008 11:53 am, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Myriam Castro em Sab Ago 23, 2008 10:06 pm

Continuando ...

Assim que chegaram ao local, viram a placa onde se lia "Seamus Harper - empreendedor, herói de muitos ... junte-se a nós numa jornada pela mente de um gênio". Bruiser comentou que modéstia parecia não ser o forte daquela figura ...
Entraram no prédio, e logo no hall, repararam que o teto era cheio de retratos de Harper, em diversas poses e expressões faciais. Dylan resmungou que aquilo era mesmo próprio de Harper. E anotou mentalmente para contar aos companheiros quando retornasse à Andromeda.
De repente, uma voz feminina, aveludada, se fez ouvir, perguntando se podia ajudá-los. Ambos se viraram. Rommie!
Ela perguntou quem eram, e Dylan se apresentou. No segundo seguinte, Bruiser foi arrancado do chão e atirado contra uma parede por uma força descomunal, e Dylan se viu agarrado pelo pescoço e achatado contra outra parede, com uma lança de força encostada em sua garganta.
Rommie estreitou os olhos, retrucando que seu Capitão tinha sido morto há 10 anos, e ordenou que ambos dissessem quem realmente eram. Dylan insistiu que ele - eles - eram mesmo Dylan Hunt, de dimensões paralelas, e sugeriu que ela escaneasse os sinais vitais. Ela analisou, e chegou à conclusão que eles falavam a verdade. Ela ficou sem entender o que estava acontecendo, e olhava de um para o outro registrando em seus processadores aquela "visão estranha".
Dylan lhe explicou que ela era a avatar da Andromeda Ascendant, uma nave de guerra da Alta Guarda, e contou tudo, tintim por tintim, desde a primeira conexão com ele, até a passagem pelo portal da Rota das Eras e a missão que tinham a cumprir. Pois a integridade daquele Universo - e de todos os seus paralelos - estava ameaçada por forças poderosas. Ele lhe pediu que confiasse nele, mas ela disse que tinha responsabilidades naquele lugar, e não podia sair dali. E passou a contar uma história de outra realidade, completamente diversa daquelas de onde vinham Dylan e Bruiser:
Harper tinha sido um criminoso comum, e durante sua estadia a bordo da Andromeda, como prisioneiro, Dylan Hunt, o Capitão, resolvera libertá-lo, pois percebera que ele era muito habilidoso com máquinas e equipamentos em geral, e permitiu que ele construísse um avatar para a nave. Algum tempo depois, a nave sofrera um maciço ataque, e, após uma dura batalha, Dylan percebera que não tinha chance de vencer. Assim, ele ordenou que toda a tripulação abandonasse a nave, e acionou a sequência de autodestruição, perecendo junto com ela. Rommie e Harper foram parar naquela colônia orbital, onde o engenheiro passou a sobreviver fazendo pequenas engenhocas e consertando equipamentos para ajuda as pessoas no dia-a-dia. Tornou-se muito estimado pela população local, até que contraiu sarampo de Triangulum ...
Dylan e Bruiser disseram, em uníssono, que aquilo era curável. Mas Rommie, balançando a cabeça, continuou dizendo que não havia ali recursos para tratá-lo, uma vez que o único disponível, Andromeda, se fora. Harper acabara morrendo, e então ergueram aquele Museu em memória dele.
Foi então que Dylan a interrompeu. Se Andromeda fora destruída, o que acontecera ao Motor da Criação, cujas partes estavam a bordo? Bruiser deu um passo à frente na direção de Rommie, mas Dylan o advertiu para tomar cuidado com ela, ou poderia até ser morto. Ele voltou a perguntar sobre o Motor, e Rommie aproximou-se de um painel e pousou a mão num laitos palmar. Ela olhou para o teto, onde a boca da maior figura do rosto de Harper se abria num alçapão, e uma espécie de plataforma de cristal baixava até o piso. Tudo parecia cheio de brilho, e os olhos sagazes de Bruiser não deixaram de notar o potencial de valor que havia ali, anotando mentalmente todos os detalhes.
Dylan ficou curioso para saber onde Harper havia conseguido as partes do Motor que ali estavam, ao que Rommie respondeu que Harper tinha alguns "contatos" - na verdade, contrabandistas - cuja líder, grande conhecedora de mitos e lendas, havia por sua vez "garimpado" pelos Mundos Conhecidos e encontrado tudo. Quando ela foi assassinada pelos Nietzscheans, Harper escondeu a coleção ali. Chegaram a montar a estrutura, mas nunca conseguiram que funcionasse. Dylan não estava surpreso quanto a isso. Explicou que era porque faltava uma parte: o coração de HG. Levou mais alguns minutos para explicar a Bruiser e Rommie o que vinha a ser aquilo. Quando Bruiser perguntou aonde estaria essa parte, não ficou muito satisfeito com a resposta: Trance.


Última edição por Myriam Castro em Qui Nov 13, 2008 11:54 am, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Myriam Castro em Sab Ago 23, 2008 10:54 pm

Continuando ...

A bordo da Andromeda, nenhuma notícia de Dylan. Haviam mobilizado vários mundos-membros, que de bom grado quiseram participar das buscas, por todos os recantos dos Mundos Conhecidos. Afinal, Dylan Hunt era muito estimado em toda a Comunidade ...
Harper ainda não se sentia muito confortável, imaginando se Dylan não pensava ter sido abandonado. Beka procurou animá-lo, dizendo que tinha certeza que Dylan não pensava assim ... ela acrescentou que já observara que Dylan sempre parecia saber o que se passava, mesmo estando longe, talvez algum tipo de poder de Paradine que ele tinha. "O Sabe-de-tudo ..." Harper chegou até a achar graça, e ambos riram.
Dayvon achava tudo aquilo muito estranho, e muito difícil de acreditar. Olhava de um Dylan para outro, e para a pequena Rommie, e repetia de si para si que era estranho. Dylan deixou que a mente do homem digerisse tudo aquilo, e Dayvon lhe perguntou como seria a tal Trance. Bem, pela descrição - pele dourada, cabelos ruivos longos e cacheados - não ia ser muito difícil encontrá-la. Mas Dylan alertou-o para ficar atento, pois Trance sabia muito bem se esconder. E passou para o ponto seguinte: precisava de uma nave. Não muito grande, mas que estivesse em boas condições e pudesse voar em turbilhão. Dayvon fez que sim com a cabeça. E por seu lado, quis saber sobre o acordo. Bruiser sorriu e disse que não se preocupasse. Estava tudo encaminhado. Dayvon ficou satisfeito. Afinal, teria dois Dylans pelo preço de um ...
Bruiser observava enquanto Dylan e Rommie se entregavam aos procedimentos da decolagem, de forma eficiente e muito bem sincronizada. E perguntou o que ele podia fazer enquanto isso. Sem tirar os olhos dos painéis de controle, Rommie respondeu que fizesse o melhor que sabia fazer: imitar o "número um". Isso o ofendeu e ele retrucou, com voz ameaçadora, que não ia obedecer a ordens de uma "empregada de museu".
Foi preciso que Dylan interferisse para esfriar os ânimos, lembrando a ambos a importância da missão, e que não era hora para discussões tolas. Precisavam agir em equipe, ou tudo estaria perdido.. Bruiser saiu resmungando para o compartimento de carga, e Rommie voltou a se concentrar.
Alguns minutos depois, Dylan e Rommie ouviram uma voz aveludada atrás de si. Dylan virou-se, não muito surpreso ao dar de cara com Trance. A pele dourada parecia emenar um brilho diferente do que ele se lembrava, mas era mesmo Trance, sem dúvida. Ela disse que sabia que a procuravam, e sabia também o motivo. Sorrindo, estendeu para ele a mão que segurava o coração de HG. Dylan segurou-o cuidadosamente, e perguntou se ela ia ajudá-los. Ela respondeu que ia, mas que não era nela que ele tinha que se concentrar ... e apontou para trás, na direção do compartimento de carga. E indicou também Rommie, acrescentando que ele tinha que fazer aqueles dois confiarem um no outro.
Quando Rommie se aproximou, Dylan a apresentou à recém-chegada, e, embora a andróide tentasse analisá-la, Trance disse que não ia adiantar fazer leituras dela. E logo chegou Bruiser, que ao dar de cara com Trance, estacou, os olhos arregalados, e sacou a lança de força. Dylan rapidamente se interpôs, o peito bem na frente da arma engatilhada. Ele encarou Bruiser com ar severo, e ordenou-lhe que baixasse a arma. Passaram-se alguns segundos até que Bruiser finalmente o atendesse. Trêmulo, ele balbuciou que fora ela que ... mas Dylan, com voz firme, lembrou-lhe que fora "outra" Trance, e que aquela estava ali para ajudá-los. Eles precisavam cumprir a missão.


Última edição por Myriam Castro em Qui Nov 13, 2008 11:54 am, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Myriam Castro em Sab Ago 23, 2008 11:38 pm

Continuando ...

A voz tranquila e confiante de Dylan acabou vencendo, e Bruiser se afastou na direção da cabine do piloto. Dylan instruiu Rommie a fixar curso para Neuilon 12 e Bruiser, ao ouvir aquilo, reagiu: fora lá que Andromeda - a "sua" Andromeda - havia sido destruída, mas Dylan, calmamente, disse que já imaginava. Rommie argumentou que aquela pequena nave não tinha armamento suficiente para enfrentar o que certamente iam encontrara: um inimigo poderoso. Dylan também tinha consciência disso, porém lembrou-lhes que tinham a mais poderosa arma do Universo ao seu dispor: o Motor da Criação. Se planejassem tudo direito, em breve nada mais haveria do inimigo, senão lembranças. Se não ... aí, nada mais importaria.
Para nenhum deles.
A Ponte de Comando da Andromeda estava em silêncio, desde o desaparecimento de Dylan. Só se ouviam os sons dos sensores de longo alcance. Rhade recebia cada relatório negativo e agradecia ao esforço de todas as equipes. Rommie, de seu console, relatou que nada havia de positivo. Rhade bateu com o punho no painel. Aquilo já estava ficando ridículo! Trance entrou na Ponte, e disse que tinha certeza de que Dylan estava bem ... o que fez o Nietzschean estreitar os olhos, desconfiado de que ela escondia alguma coisa. Mas Trance explicou que não sabia tudo ... só podia assegurar que Dylan estava vivo e bem, e que ele ia voltar.
Com apenas dois rápidos saltos, a pequena nave chegou ao seu destino. Todos olharam ao redor. Até mesmo Dylan estava um pouco nervoso, pois já tinha combatido esse inimigo antes ... e com Andromeda e sua tripulação completa. Ele sabia que o Motor era poderoso o bastante, mas, a pequena nave suportaria esse poder ...?
Bruiser foi procurá-lo algum tempo depois, e perguntou se ele confiava naquela Trance. Dylan respondeu que sim, pois ela era parte da chave, assim como ele e Rommie. Bruiser ficou intrigado ... ele, e não Dylan? Mas este lhe explicou que, segundo Elysian, ali ele era apenas um espectador. Em cada Universo, se houvesse mais de um Paradine, o "dominante" era quem tinha os poderes. E ali, ele, Bruiser, era o dominante. Dylan não pertencia àquela dimensão. E não deixou de notar que aquela revelação fez com que Bruiser se sentisse mais "senhor de si". Bem ... isso talvez trabalhasse a seu favor.
Bruiser então pareceu lembrar-se de outra coisa, e comentou sobre Dylan saber o que acontecera entre entre Trance e ele. Dylan acenou que sim, confirmando. Então, o outro perguntou se ele também tinha "uma Saoirse". Ao que Dylan, sabendo onde ele queria chegar, respondeu-lhe que tinha a Saoirse "dele".
Bruiser arregalou os olhos. Dylan então lhe contou como haviam encontrado Saoirse, a bordo de uma Andromeda terrivelmente avariada. Ela estava bem, em perfeita saúde. Era uma pessoa de bom coração e boa índole, muito correta, e tornou-se muito querida a bordo da Andromeda, conquistando a simpatia de todos.
àquela altura, Dylan fez uma pausa, parecendo um tanto desconfortável, o que não passou despercebido a Bruiser. Este quis saber se ela havia falado sobre ele. Dylan respondeu que sim, depois do choque inicial - ela o havia dado como morto, chegara mesmo a vê-lo dar o último suspiro, e contara sua história. E aí, veio a pergunta inevitável ... Dylan e ela estavam juntos?
Dylan pensou por um momento. Devia ou não contar a verdade? E resolveu que o melhor a fazer era ser sincero. Sim, ele e Saoirse estavam juntos. Bruiser ficou em silêncio. Isso queria dizer que Dylan já ... o movimento de cabeça de Dylan não deixou dúvidas.
Foi demais para ele. Com um brilho de profunda tristeza no olhar, ele perguntou se ela estava feliz. Novamente, Dylan não mentiu. Foi quase como se olhasse em um espelho quando respondeu: "Sim ... está."
Algum tempo depois, Rommie relatou a situação. Ao largo de Neuilon 12, havia uma frota composta de gigantescos encouraçados e pelo menos uma dúzia de fragatas de guerra, frota essa 3 vezes maior, de acordo com Bruiser, do que a que derrotara a Andromeda, em sua realidade. Era todo o poderio bélico do inimigo. E iam percorrer as Três Galáxias varrendo tudo que encontrassem, até que fossem a espécie dominante. E não era só isso ... eles se moviam entre dimensões, abrindo imensos portais, por onde faziam suas incursões. E para completar, também dominavam a "tecnologia de fase", ou seja, tinham a capacidade de aparecer e desaparecer à vontade. Bruiser estava atônito.
Grande! Um inimigo indestrutível e invisível! Ele só queria ver como Dylan ia fazer para vencê-los. Ao que Dylan retrucou que ele era só o guia, pois Bruiser, Rommie e Trance é que seriam os verdadeiros executores daquela missão. Por sorte, lembrou ele, nenhum daqueles gigantes ia sequer prestar atenção em uma minúscula nave, muito menos gastar energia atirando contra ela.

Continua ....................................................


Última edição por Myriam Castro em Qui Nov 13, 2008 11:54 am, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Myriam Castro em Dom Ago 24, 2008 3:12 pm

Continuando ...

Eles passaram ao largo da frota e se posicionaram de tal forma, que lhes permitisse direcionar o Motor da criação contra o inimigo.
Só precisariam aguardar que um portal fosse aberto.
E havia mais um detalhe, que Dylan precisava mencionar ... era necessário chegar bem perto, para que a eficiência do Motor fosse a máxima. Rommie então perguntou o que impediria o inimigo de fazer exercício de tiro-ao-alvo com eles. Dylan sorriu. Ele conhecia muito bem aquele inimigo. Eram simplesmente muito orgulhosos para ver a pequena nave como ameaça. E quando percebessem ... bem, já seria tarde demais. Bruiser elogiou a astúcia de seu igual, bem como a sua audácia ...
Dylan, então, instruiu os três - Trance, Rommie e Bruiser - para irem montar o Motor, enquanto ele ficaria nos controles da nave.
Após cerca de 10 minutos, estava tudo pronto. Segurando firme os manches da nave, Dylan guiou-a suave e lentamente para mais perto do alvo.
Mas logo o alarme soou, anunciando que tinham sido detectados. Dylan não modificou o curso, para não despertar suspeitas. E foi-se aproximando ...
Até que começou.
Uma barragem de fogo sacudiu a nave, o que exigiu de Dylan toda a sua habilidade para pilotá-la. Ele pensou que, se fosse a Andromeda, aquilo pareceria apenas um ataque de moscas incômodas ... até que se lembrou que eles tinham ali um poderio bem maior, que nem mesmo sua grande nave de guerra superasse.
Duas das naves maiores saíram da formação e foram na sua direção, carregando suas baterias principais. Ele chamou os três lá embaixo, e ao seu comando, Trance conectou o cubo.
Um brilho cegante inundou o convés de carga, e todos os três foram subitamente derrubados e atirados longe, enquanto o eixo principal do Motor despertava para a vida. Dylan anunciou que um túnel estava se formando, porém, lá embaixo, ninguém se moveu, todos ofuscados pelo brilho do artefato, e como que suspensos no tempo ... Dylan cobriu os olhos, enquanto uma colossal explosão varria tudo. Durou apenas alguns segundos. O inimigo tinha simplesmente diexado de existir.
Bruiser estava estupefato ... jamais tinha presenciado tamanho poder de fogo. Quando finalmente conseguiu falar, foi para comentar que precisava de um drink. Dylan olhou para os três diante dele. Chegara a duvidar que fossem capazes de agir em conjunto, mas haviam conseguido! Ele pediu a Rommie que guiasse a nave de volta para a Estação, pois achava que Bruiser tinha razão quanto àquele drink ...
Sete saltos mais tarde, estava com Dayvon em um bar, relatando os recentes acontecimentos. Dayvon notou como todos - especialmente Dylan e Bruiser - estavam cansados, e aconselhou-os a ir descansar. E perguntou a Dylan como ele ia fazer para retornar ao seu próprio tempo e lugar. Dylan não tinha ainda idéia e Dayvon lembrou-o do acordo acerca de Salko. Puxa, pensou o Capitão, esse cara não esqueceu disso! Balançou a cabeça, e resolveu seguir o conselho dele, dizendo que veria isso mais tarde ... e pediu licença para se retirar. Dayvon lhe indicou um quartinho nos fundos, onde poderia ficar à vontade para repousar e recuperar as forças.
Pouco tempo depois, Dylan mal tinha fechado os olhos, quando alguém bateu à porta. Era Bruiser, visivelmente embriagado, que entrou com passos não muito firmes e sentou-se na beira da cama. Ele queria falar de Saoirse.
Dylan sentou-se de frente para ele, e Bruiser, após mais um gole do copo que ainda segurava, perguntou a Dylan se ela ainda o amava. Dylan respondeu que ela sempre pensava nele, embora o desse como morto, e, se soubesse que ele ainda vivia, teria querido voltar para ele. Então Bruiser lhe perguntou se ele, Dylan, a amava, e o Capitão mais uma vez foi fiel à verdade ... disse que sim, "muito mais do que pensava que pudesse".
Ele olhou para o homem à sua frente - os cabelos desgrenhados, os olhos injetados de sangue - quase uma caricatura de si mesmo, e sentiu pena. Bruiser disse que ambos amavam a mesma mulher ... a única diferença era que ela tinha orgulho do que Dylan era - talvez o que Bruiser fora outrora. Dylan viu a profunda tristeza estampada naqueles olhos e, pousando-lha a mão no ombro, disse-lhe para pensar da mesma forma em relação a si mesmo, pois havia um homem bom dentro dele. Prova disso era o Motor da Criação ... ele só funcionava se as intenções fossem boas. Ele só tinha que resgatar o seu lado bom, que estava simplesmente adormecido, para ter a paz de espírito que procurava.
Bruiser sorriu. Agora ele falava como Trance!


Última edição por Myriam Castro em Qui Nov 13, 2008 11:55 am, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Myriam Castro em Dom Ago 24, 2008 4:20 pm

Continuando ...

Ele se levantou. Com um suspiro, disse que ia deixá-los em paz. E acrescentou que descansasse bastante, pois Salko os esperava no dia seguinte. Antes de fechar a porta atrás de si, ele pediu a Dylan que nunca dissesse a Saoirse que ele estava vivo. Ela devia lembrar-se apenas do que ele fora ... aos olhos dela, ele morrera como um herói e era melhor para ela - para todos eles - que continuasse pensando assim.
Dylan fez que sim com a cabeça, e voltou a deitar-se. Já estava quase pegando no sono novamente, quando um forte clarão inundou o pequeno quarto. Ele se levantou de um pulo e tinha já um sonoro palavrão na ponta da língua, quando a voz de Elysian se fez ouvir, cumprimentando-o.
Quando seus olhos se ajustaram à claridade, ele o viu, encostado à parede e de braços cruzados. Elysian disse que viera dar-lhe os parabéns pela missão bem-sucedida, e que já era hora dele voltar para casa. Dylan ia dizer que ainda tinha um probleminha para resolver, mas Elysian lhe falou que já estava tarde ... e de repente, Dylan caiu pesadamente no frio chão metálico, resmungando que poderia ter escolhido uma aterrissagem mais suave ...
e na Andromeda ...
Já fazia seis dias que Dylan desaparecera, e toda a tripulação sentia os efeitos da severa privação de sono e da imensa frustração. Estavam reunidos na Ponte, e acompanhavam todos os relatórios que chagavam dos grupos de busca - que já contavam 12432 - todos até então infrutíferos.
Então, de repente, Rommie piscou, seu corpo completamente imóvel. Harper observou-a, enquanto os olhos dela tremiam incontrolavelmente e, preocupado, aproximou-se dela, chamando-a. Ela deu um salto, subiu na plataforma do console de controle, e começou a apertar os botões numa velocidade estonteante.
Harper ficou alarmado, chamou-a novamente. Ela se virou, um sorriso iluminando o rosto perfeito. "Encontrei! Eu o encontrei!"
Harper arregalou os olhos. Dylan!!
Ele a abraçou, excitado, e quis saber onde. Rommie tocou num determinado botão no painel, e a imagem de Dylan, esfregando o traseiro dolorido, encheu a tela: deck de Observação!
Antes que a realidade atingisse os demais, Harper e Saoirse estavam correndo para lá ...
Dylan quase foi derrubado novamente, quando Harper jogou-se sobre ele e o envolveu num verdadeiro abraço de urso. "Você voltou! Você está bem! Não está ...?" Dylan respondeu que sim, mas que, se não o soltasse, passaria os próximos dois dias no Deck Médico, recuperando-se de costelas quebradas ...
Harper então soltou-o e, percebendo que Dylan olhava para além dele, para a figura alta e loira à entrada do Deck, afastou-se com um sorriso meio sem graça.
O Capitão agradeceu ao engenheiro pelas calorosas boas-vindas, sem tirar os olhos de Saoirse. Os gritos de alegria de Harper ecoaram pelos corredores atrás dele.
Dylan aproximou-se lentamente de Saoirse. Ela subitamente lançou-se sobre ele, batendo-lhe no peito com os punhos, soluçando e balbuciando que ele não cumprira sua promessa. Dylan estreitou-a contra si, acalmando-a, e pedindo-lhe com voz suave que lhe perdoasse ... ele voltara, e estava ali para ficar.
Saoirse, incrédula, perguntou-lhe por que acreditaria nele, depois do que acontecera. E ele, estendendo os longos braços e segurando as mãos dela, respondeu que era porque a amava. As palavras dele a fizeram conter as lágrimas. Ele continuou, repetindo que a amava, e que ia dali para frente fazer o melhor que podia para estar sempre com ela. Ele lhe contaria o que havia acontecido mais tarde, mas, naquele momento, precisava muito descansar. Ela então resolveu ir para os aposentos dele e esperá-lo lá.


Última edição por Myriam Castro em Qui Nov 13, 2008 6:14 pm, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Myriam Castro em Dom Ago 24, 2008 5:17 pm

Continuando ...

Antes de se recolher, Dylan passou rapidamente pela Ponte, onde foi efusivamente abraçado por todos. Reparando que também eles pareciam cansados, ordenou que todos se recolhessem, enquanto ele mesmo se encaminhava para os seus aposentos. Quando soube que se tinham passado seis dias, ele se admirou, e soube que era por isso que estava tão cansado.
A caminho dos seus aposentos, encontrou-se com Trance - e ela, sorrindo à guisa de cumprimento, lhe disse que sabia que ele conseguiria. Eles precisavam apenas de sua orientação. Ele estacou, e em tom de queixa disse que não precisava ser arrebatado daquela maneira, mas Trance, genuinamente assustada, assegurou-lhe que não sabia que Elysian ia fazer aquilo ... daquele jeito. Fez uma pausa, e perguntou se ele ia contar a Saoirse. Ele suspirou. Não ... o "outro" lhe pedira especificamente para não fazê-lo e ele ia respeitá-lo. Ele queria que ela se lembrasse dele como o Capitão que era. Colocando-se no lugar dele, Dylan faria o mesmo. Trance argumentou que Saoirse não ficaria nada feliz se soubesse a verdade, e Dylan disse, fitando Trance intensamente bem nos olhos, que faria de tudo para que ela nunca soubesse. Não ia ser fácil ... nunca era!
Ele então quis saber se eles lá ficariam bem, e Trance respondeu que sim, graças a ele.
Ao entrar em seus aposentos, feliz por respirar novamente o ar familiar de casa, Dylan viu Saoirse sentada na cama, com uma expressão estranha no rosto. Ela disse que queria uma explicação ... não, não era pela sua ausência, e sim pela pilha de dinheiro que havia sobre a cama. Dylan arregalou os olhos. Ele não tinha a menor idéia de como fora parar ali ... até Saoirse comentar que devia haver uns 20 mil. Ele pensou por um momento, e então de repente lembrou-se. O dinheiro de sangue de Dayvon! Dylan rompeu numa sonora gargalhada, genuinamente divertida, como Saoirse há muito não via.
"Eu lhe disse que Elysian ia fazê-lo pagar ... só não pensei que faria isso no sentido literal!"


Última edição por Myriam Castro em Qui Nov 13, 2008 6:14 pm, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Myriam Castro em Dom Ago 24, 2008 8:17 pm

Tudo bem ...
Eu demorei porque estava com problema de conexão (essas operadoras ...), e o sinal caía toda hora.

Bem ...
Eu também fiquei com pena ... no início, cheguei a pensar que o "outro" Dylan vivia numa realidade distorcida, e ele era mau-caráter, mas, no fundo, descobri que na verdade era um homem bem sofrido, que tinha passado por tantas "surras", que tinha simplesmente largado tudo.
Quanto ao uso do Motor da Criação ... não se tratava de "construir" um outro mundo novamente, e sim, de eliminar um terrível invasor, que estava para conquistar os Mundos Conhecidos e dominar todos os povos.
Pelo que se diz desse invasor, pareceu-me ser aquela estranha espécie, que aparece no final da II Temporada, e cujas naves surgem aos milhares de um túnel dimensional, com a capacidade de se tornar invisíveis - que por sua vez lembra o "Predador".
E quanto ao romance de Dylan com Saoirse ... bem, tenho a impressão que isso ainda vai dar "pano para mangas". Pessoalmente, eu não gostaria que Dylan se separasse dela ... ele realmente a ama, e o que parece é que ela ainda fica um pouco "em cima do muro" com ele ... Acho que, se ele a perder, vai ser um terrível golpe para ele!


Última edição por Myriam Castro em Qui Nov 13, 2008 6:14 pm, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Manto Negro em Seg Ago 25, 2008 9:14 am

Tenho medo também Myriam! Ela não vai gostar nada de saber que Dylan mentiu pra ela! Bom vamos esperar pra ver, mas tomara que ela não judie muito dele né? Ele sofre demais nessa serie, fico com um dozinha dele! :cry:

Manto Negro

Número de Mensagens : 2868
Idade : 40
Location : Santa Tereza de Goiás- GO
Data de inscrição : 26/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  mara em Seg Ago 25, 2008 3:00 pm

É Myriam, é só o começo. Que episódio lindo!
E que cuidado e carinho o seu, querida, como sempre. Muito obrigada!
Eu já disse às fãs que escreveram esses episódios o quanto os fãs do Brasil também os adoram, graças a você, minha querida!
Dá pra sentir o amor de Dylan por Saoirse, não? Eu podia jurar que estava lá com ele e o seu duplo também!
Uau! Saudade, Andrômeda!:cry: 8)

_________________
No one should never give up, ever! Do what makes you happy, what you are passionate about!

mara

Número de Mensagens : 18928
Location : São Paulo, Brasil
Data de inscrição : 02/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Myriam Castro em Seg Ago 25, 2008 5:16 pm

O fato é que Dylan vai guardar para si esse segredo, porque o outro lhe pediu ... não chega a ser propriamente uma mentira, mas mais uma omissão.

Vi também que existe uma diferença bem maior entre essas duas "versões" de Dylan ...
O "nosso" Dylan passou também por muita coisa ruim ... desde o início de sua odisséia, ao sair da singularidade e se lançar na tarefa sobre-humana de restaurar uma Civilização que abrangia galáxias inteiras, com sua nave e apenas 6 pessoas, até as Temporadas virtuais. Realmente, ele sofre bastante! Entretanto, apesar de ter visto a morte de perto algumas vezes, ele não se deixou desistir daquilo que era, e continuou sendo o adorável Capitão e extraordinário líder que nós conhecemos. E continuou lutando por aquilo em que sempre acreditara.
Quanto ao "outro", seu alter-ego, pareceu-me que tinha a personalidade mais "fraca", por assim dizer, pois entregou-se completamente a uma lamentável decadência moral. E também me pareceu que o fator principal foi a "perda" de sua amada Saoirse, e não a decepção com a Comunidade.
E, quando leio esses episódios virtuais, se fechar os olhos "enxergo" direitinho Dylan e Saoirse juntos, imaginando como formam um lindo casal, e torço para que fiquem juntos no final.

Uau, Mara ...
Sinto-me honrada ao saber disso ... e transmito através de você o meu muito obrigada a todas elas! Elas é que são geniais de verdade ... afinal, escrever Ficção Científica não deve ser nada fácil!
Bem ... a inspiração principal sem dúvida ajuda bastante: KEVIN!

E ... Põe saudade nisso !!!!!!!!!!

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Temporada Virtual VII-02 - He Watched ... He Waited p.2

Mensagem  Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 8:56 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum