A SAGA I- 15 FORCED PERSPECTIVE

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A SAGA I- 15 FORCED PERSPECTIVE

Mensagem  mara em Ter Fev 10, 2009 10:01 pm




capturas: esta é a primeira:
http://s392.photobucket.com/albums/pp5/galeria_andromeda_saga/?action=view¤t=115_cap001.jpg


I – 15 - FORCED PERSPECTIVE

PERSPECTIVA FORÇADA
História original de Matt Kiene e Joe Reinkemeyer


“Os Humanos dizem que a estrada para o Inferno é pavimentada
Com boas intenções.
Por quê? Eles pensam que faltam as más?”

Karm’luk P’an Ku
“A Alegria da Lucidez” - CY 8633


Beka fazia exercícios de musculação, sob a orientação de Tyr, e se sentia aborrecida pelo fato de Dylan ter saído com a Maru, e além disso, de ter levado Trance, que ela considerava seu “amuleto de boa sorte”. Ela achava que Dylan não devia sair por aí, à cata de peças de reposição para a Andromeda ... mas Tyr disse que as peças eram necessárias, e logo ele estaria de volta.
Dylan estava em Sigma Tau Five Drift, e avisava Rev e Harper – que tinham ido procurar em outro local - que podiam parar de procurar, já que ele e Trance haviam encontrado a válvula solenóide AP. Ele disse que logo estaria lá para recolhê-los.
Mal ele acabou a transmissão, e a comporta se abriu, e três homens fortemente armados entraram, atacando-o. Ele tentou combatê-los, e foi preciso usar de dispositivos de choque para que conseguissem dominá-lo. Antes de perder os sentidos, Dylan agarrou um dos homens pela gola, arrancando um botão, mas acabou desfalecendo e foi arrastado dali.
Quando Trance chegou, chamou por Dylan e não obteve resposta, ficou preocupada. Ela viu sinais de luta e marcas de sangue na parede, e logo soube que algo havia acontecido com ele. Então, viu algo no chão e recolheu um pequeno objeto, com um símbolo de compasso.
Dylan recobrou lentamente a consciência, e percebeu que estava amarrado a uma cadeira. Uma mulher se aproximou dele, acusando-o de “assassinato e terrorismo”. Ele não entendeu nada, e ela mencionou uma antiga visita dele àquele planeta. Dylan, é claro, disse que nada sabia, e informou apenas seu nome, posto e número de série ... a mulher pareceu ficar aborrecida, e fez sinal a dois homens, que se aproximaram de Dylan e passaram a bater nele sem dó.
Enquanto isso, Trance procurava saber a origem do símbolo daquele botão, e enviava uma mensagem de socorro a Harper e Rev, mas, vendo que eles iam demorar para chegar ali, ela percebeu que ela mesma tinha que encontrar Dylan.
Bastante machucado, Dylan foi jogado violentamente contra uma parede, e foi escorregando até cair no chão. A mulher, que era advogada de acusação, continuava tentando fazer Dylan falar, mas ele nada revelava.

Flashback - Dylan recebeu a visita da Almirante Constanza Stark, Comandante da Alta Guarda, que tinha uma missão para ele. Era, segundo ela, uma missão voluntária, mas diante de alguns argumentos, ele aceitou. Depois de apresentar-lhe seu parceiro, um oficial Nietzschean, ela informou seus codinomes – Março e Abril – e disse que tinham que ir a um sistema chamado Mobius, remover seu Ditador, e deportá-lo, preso, para Tarn Vedra. O contato deles no planeta seria um sujeito chamado Venetri, codinome Maio, que era Arquiteto do Governo.

Dylan continuava dizendo apenas seu nome, posto e número de série, e passaram a torturá-lo com descargas elétricas. Como ele não falasse, a advogada informou-lhe que o governante de Mobius, o Grande Compasso, viria vê-lo. Qual não foi a surpresa de Dylan, quando viu na sua frente, Venetri em pessoa ... Venetri havia descoberto que Dylan continuava vivo, principalmente depois de ficar sabendo que os Castallianos haviam assinado a carta da Comunidade. Ele debochou de Dylan, chamando-o de “Garoto de Ouro da Alta Guarda”, que voava pelas estrelas em sua grande nave, defendendo os princípios da Comunidade ... e disse que desprezava a Comunidade, pois ela desaparecera no momento em que Mobius mais precisara dela. Ele observou que havia acontecido um certo “acidente” com o antigo Presidente de Castallia ... insinuando que aonde Dylan estivesse, alguém sempre morria.

Flashback - Dylan e seu companheiro (cujo nome verdadeiro era Gaheris Rhade) chegavam a Mobius e se encontravam com Venetri. Rhade achava que o Ditador, Ferrin, devia ser morto e ponto final, mas, como Venetri se mostrasse alarmado – pois abominava violência – Dylan lhe assegurou que apenas iriam prender Ferrin e levá-lo dali. Venetri comentou que os dois eram a décima terceira equipe que mandavam, para lá, e Rhade mais uma vez expôs sua opinião. Dylan voltou a afirmar que não haveria violência. Venetri os guiou pelos corredores repletos de armadilhas, que ele mesmo instalara a mando de Ferrin, e os ensinou a evitá-las. Em determinado ponto, porém, quando tentaram passar pela segurança, foram barrados pelos guardas, e após rápida luta, Dylan e Rhade foram obrigados a matar para se defender. Venetri entrou em pânico, e Dylan o acalmou, orientando-o para comparecer ao encontro marcado com o Chanceler e enviar o sinal combinado. Enquanto isso, ele e Rhade escondiam os corpos dos guardas e continuavam seu caminho.

A advogada que estava processando Dylan, revelou-lhe que era descendente de um daqueles guardas, e que após sete gerações, chegara a hora de fazer justiça. Depois de mais uma sessão de tortura, ele foi levado, semiconsciente, de volta à cela.
Enquanto isso, na Andrômeda, Beka se sentia entediada com a inatividade, e foi conversar com Tyr, que, na Ponte estava lendo um livro de Nietsche: “Além do bem e do Mal”. Tyr lhe disse que havia muitas coisas interessantes que o grande filósofo podia ensina-lhe, como pensar em sua sobrevivência – que Beka comentou ser “expert” – e em reprodução ... ao que Beka, meio sem-graça, disse que ia continuar a sua sessão de musculação.
Quando a porta da cela se abriu, Dylan, mesmo prostrado, repetiu com voz fraca seu nome, posto e número de série, e então a voz de Trance se fez ouvir, e ele, ainda zonzo, virou-se para ela. Ela lhe deu um pouco de água e disse que viera resgatá-lo ... e quando ele perguntou como a encontrara, ela lhe mostrou o tal botão. Ele olhou incrédulo para o pequeno objeto, e ela explicou que sempre fora perita em “achar e tirar coisas”. Não era uma ladra, mas daquela vez viera “roubar” Dylan.

Flashback - Rhade admitiu que admirava Ferrin, mas continuava achando que ele devia ser morto. Mas, quando os alarmes soaram, eles perceberam que os guardas haviam sido encontrados, e que iam precisar de Ferrin vivo, como refém.

De volta à Andrômeda, Beka e Tyr precisavam descarregar constantemente o lixo e proceder à renovação do ar, de forma manual, pois essas funções eram executadas justamente pela válvula solenóide AP que Dylan tinha ido buscar. Para matar o tédio, Tyr sugeriu a Beka que o encontrasse no Deck de Observação, onde ele ia preparar um jantar.

Dylan seguia Trance, tentando evitar serem vistos pelos guardas, quando parou de repente e decidiu que ainda precisava resolver um assunto ali, que ficara pendente há 300 anos. Trance achava que devia deixar aquilo de lado, mas Dylan já tinha tomado sua decisão. Então, ela mudou de direção e ele a seguiu.
Dylan procurava por Venetri, e o avistou. Ele entrou numa determinada sala, e quando Dylan e Trance o seguiram, encontraram não um gabinete, mas uma espécie de laboratório, onde corpos e partes de corpos, todos semelhantes a Venetri, eram mantidos em containeres ... e Dylan concluiu que era assim que Venetri se matinha vivo. Ele fabricava clones de si mesmo, para utilizar suas partes a manter-se vivo por todos aqueles anos. Mas ele precisava encontrar o verdadeiro Venetri. Então, de repente, Dylan se deu conta de que Trance podia de certa forma ler o futuro. Ela pareceu perturbada, e desconversou ...
Beka encontrou Tyr no Deck de Observação, e ele tinha preparado um requintado jantar, com luz de velas e tudo o mais. Ela ficou impressionada com as habilidades dele, e ele disse que aprendera quando fora contratado por um certo sujeito que gostava de comidas finas, mas que, quando se recusou a pagar-lhe o que devia, Tyr simplesmente o envenenara. Eles sentaram-se e passaram a conversar sobre assuntos corriqueiros ... até mesmo de um possível romance entre Dylan e Rommie. Ao que Tyr, intrigado, disse que sua raça jamais aceitaria se envolver com alguém que não fosse um semelhante, muito menos uma IA. Ele explicou que nunca se interessaria por uma mulher humana. E Beka, ao ouvir aquilo, sentiu-se muito ofendida, e foi embora, deixando-o sozinho.

Flashback - Dylan e Rhade chegavam ao gabinete de Ferrin.

Dylan e Trance chegaram ao escritório de Venetri, e Dylan pareceu hesitar, levando a mão ao flanco, como se sentisse alguma dor. Trance ficou preocupada com ele.

Flashback - Quando Dylan se adiantou e apontou a arma para o Chanceler, e ia dar-lhe voz de prisão, Ferrin disparou primeiro, atingindo Dylan no abdômen, à queima-roupa. Dylan caiu, mas respondeu ao fogo, e Rhade fez o mesmo. Ferrin acabou morto. Dylan arrastou-se até se recostar a uma parede, e Rhade, ao lado dele, comentou que agora teriam que dar um jeito de sair dali, vivos.

Dylan, chocado, chegou à conclusão de que Rhade tinha razão ... só um tiro resolvia. Venetri se tornara pior do que Ferrin, e ia acabar com aquilo. Mas Trance tentou impedi-lo, falando sobre outras possibilidades, e que tudo podia ser resolvido sem mais violência. Ela disse a Dylan que ele não podia controlar o Universo, somente suas próprias intenções, e com isso fez Dylan parar para pensar.
Venetri estava lá dentro, e quando Dylan entrou, acusou-o de hipócrita ... amargurado, ele jogou na cara de Dylan que a Comunidade recompensava os assassinos, querendo dizer com isso que ele ganhara Andrômeda por ter cometido “crimes”.

Flashback - a Almirante Stark promoveu Gaheris Rhade a Primeiro-Oficial da Andromeda Ascendant, parabenizando-o por ter levado a missão a bom termo, e por ter salvo a vida de Dylan, tirando-o de Mobius, contra todas as possibilidades. Em seguida, aproximou-se de Dylan – que disse não merecer nada - e entregou-lhe sua nova missão (dessa vez, não era voluntária): ele era agora o Capitão da Andrômeda, e Rhade lhe fez continência, dizendo estar feliz em servir sob o comando dele.

Venetri desabafou que a Comunidade nunca o ajudara, e ele fora obrigado a montar um Governo autoritarista, se quisesse manter a ordem. Dylan lhe disse que ninguém previra que a Comunidade caísse como caiu, e quando Trance tentou argumentar, ele admitiu que, ao aceitar Andrômeda, concordava com os métodos violentos da Comunidade. Mas Trance não concordou com aquilo. Ela lhe lembrou que ele estava usando Andrômeda para ajudar mundos inteiros, e isso era o que importava. Venetri estava desiludido. Mas Trance continuou, informando que ele podia sempre tentar começar de novo, em outro lugar, talvez, e que tudo ficaria bem. Dylan não ia matá-lo ... e sugeriu-lhe que deixasse Mobius para o seu próprio povo governar, e fosse tentar a vida em outro lugar, em paz.
Mais tarde, de volta à Andrômeda, Dylan notou que o “clima” entre Beka e Tyr parecia estranho, mas nada disse. Harper acabara de instalar a nova válvula, e a nave estava agora pronta para seguir seu curso.


Última edição por mara em Qui Set 24, 2015 9:54 am, editado 3 vez(es)

_________________
No one should never give up, ever! Do what makes you happy, what you are passionate about!

mara

Número de Mensagens : 18928
Location : São Paulo, Brasil
Data de inscrição : 02/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A SAGA I- 15 FORCED PERSPECTIVE

Mensagem  mara em Ter Fev 10, 2009 10:39 pm

Eu adorei esse episódio por um motivo meio estranho: Dylan se deixara agarrar, ele podia ser ferido e torturado, podia sangrar...Dylan estava amarrado e prestes a ser fuzilado e mostrava terror nos olhos, gritando sua raiva e medo...muito diferente de Hércules... eu não via coisas assim em Hércules - Dylan era mortal e eu estava há 7 anos habituada com "ele" sendo imortal, invencível. Adorei!
Nesse episódio acho que Dylan é vencido e humuildemente aceita a derrota, ele compreende que havia tomado a lei na próprias mãos há 300 anos atrás, com a ajuda de Trance e Venetri.
O escritor, que na época conversava conosco num fórum especial, concordou com a opinião dos fãs de que exagerou quando Dylan diz à almirante Starck que não merece nada....isso foi meio ingênuo.
Mas o episódio é muito interessante e ficamos entendendo porque ele e Rhade se tornam tão amigos - Rhade salva sua vida - e como foi que Dylan "ganhou" Andrômeda.
Muito forte quando ele, atado à cadeira e ferido, pergunta, incrédulo a Venetri: "o que aconteceu com você?" E Venetri responde: "Você aconteceu..."
Também começa a paquera entre Beka e Tyr...
Adorei ver de novo, Myriam!:kiss:

_________________
No one should never give up, ever! Do what makes you happy, what you are passionate about!

mara

Número de Mensagens : 18928
Location : São Paulo, Brasil
Data de inscrição : 02/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A SAGA I- 15 FORCED PERSPECTIVE

Mensagem  Myriam Castro em Qua Fev 11, 2009 6:21 pm

Eu também gostei muito desse episódio. Ele sinalizou uma nova fase na vida de Dylan, que a partir daquele momento teria que repensar seus conceitos meio "estereotipados" acerca da Comunidade.
Mostrou também como pareceria impensável que Rhade se entregasse a uma rebelião, e acabasse traindo seu melhor amigo ... ele ia ser, inclusive, padrinho de casamento de Dylan.
Ele era leal à Alta Guarda ...deve ter sido bem complicado para ele sair de Mobius com Dylan, que, ferido, estava sem condições de se defender sozinho ... imaginem vocês, havia aquelas estranhas armadilhas pelo caminho, e guardas por toda parte atrás deles, principalmente depois de descobrirem que seu Líder havia sido morto - ele teve, com certeza, que carregar os quase dois metros de Dylan praticamente o tempo todo, enfrentando tudo aquilo.
Tem razão, Mara, a gente percebe que Dylan é bem diferente de Hércules ... nada de sangue imortal correndo pelas veias, e seus "superpoderes" têm um enfoque diverso - estão mais na esfera psicológica do que propriamente física - apesar de ele pertencer a uma raça desenvolvida com engenharia genética.


Última edição por Myriam Castro em Qui Fev 12, 2009 6:17 pm, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A SAGA I- 15 FORCED PERSPECTIVE

Mensagem  Myriam Castro em Qui Fev 12, 2009 6:14 pm

E, mesmo sob ameaça de ser morto, Dylan nada revelava à tal advogada.
Militares altamente treinados como Dylan, costumam agir assim ... parece que passam por uma espécie de condicionamento psicológico, para que , em caso de captura, não revelem informações importantes ao inimigo. Mesmo sob tortura, eles apenas mencionam nome, patente e número de série.

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A SAGA I- 15 FORCED PERSPECTIVE

Mensagem  Convidad em Qui Fev 12, 2009 6:22 pm

Obrigada meninas. Adorei ler! É rever mentalmente.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A SAGA I- 15 FORCED PERSPECTIVE

Mensagem  Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 5:10 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum