HÉRCULES A SAGA - I-02 - The Eye of the Beholder

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

HÉRCULES A SAGA - I-02 - The Eye of the Beholder

Mensagem  Myriam Castro em Sex Ago 28, 2009 8:22 pm





ENGLISH VERSION:
Eye of the Beholder



Hercules is running. Boy, he looks scared. It's no monster chasing him, though, it's a band of women. No, they're not angry Amazons. They're the fifty daughters of King Thespius, and they want to bear his children. Taking refuge in a tavern, Hercules can't quite get the barkkeep to see why this is a problem for him. A local drunkard asks Hercules what he's planning to do about the cyclops terrorizing Trachis. Apparently the cyclops is the guardian of Hera's vinyard. Hercules figures that dealing with one cyclops will be a lot easier than dealing with 50 women and heads off to investigate.

Meanwhile a "humble peddlar" is challenged by the cyclops. The cyclops refuses to let him pass, the peddlar protests that this is the only way to Trachis. The cyclops promptly picks him up and kicks him all the way across the vineyard. The peddlar is left hanging from a tree. Hercules finds him there just as the peddlar falls from the tree into a mudhole. After establishing that he's not hurt, Hercules asks him what happened. He asks where he can find the cyclops and the peddlar thinks he's crazy ("Do tell! Who do you think you are -- Hercules?" "Well, as a matter of fact...") until he convinces him that he's Hercules. The peddlar, who introduces himself as Salmoneus, can't wait to see Herc give the cyclops a good pounding. Meanwhile, however, he tries to interest Hercules in buying one of his togas. Hercules doesn't even know what a toga is.

Three villagers are working to put the river back on course (it's blocked by a huge boulder) when the cyclops appears. One of them challenges the cyclops, calling him "one-eyed freak", and is killed. The other tow flee. They run into Hercules and Salmoneus (Sal having given up on trying to sell to Hercules now wants to use his name for advertising). Atreus explains to Hercules that the cyclops diverted the river to irrigate Hera's vineyard: they were just trying to set it back on course. Hercules says he'll help them deal with the cyclops.

That night the villagers throw a party to welcome Hercules. Hercules tells Salmoneus he'd rather be fighting monsters. The party is interrupted by the daughters of Thespius, who have finally tracked Hercules there. Hercules promptly hides. Salmoneus, thinking quickly, tells them our hero is on his way to Athens.

At dawn, Scilla, one of the village women, is out gathering flowers. The cyclops appears. She protests that she's nowhere near the vineyard, but he frightens her off anyway. As she runs away she loses her scarf. Meanwhile, Salmoneus is telling Hercules how impressed he is if Hercules can attract so many beautiful women. "All they want is my body!" Hercules protests. Scilla returns to the village at a run: her story angers the villagers and one of then accuses Hercules of cowardice because he hasn't killed the cyclops yet. Herc is forced to fight him. Then he goes after the cyclops.

Castor, the man who supervises Hera's vineyard, is warned by one of his spies that Hercules is coming. Predictably, he is pleased by this news: "his" cyclops will kill Hercules and Castor can present his head to Hera at the upcoming festival. Castor goes to the cyclops to tell him to get ready for a fight. The cyclops doesn't seem keen on going up against Hercules. Castor sees Scilla's scarf in the cyclops' pocket and teases him about it, provoking him to anger.

Salmoneus has followed Hercules from the village: he is determined to witness what Hercules does to the cyclops. Reluctantly, Hercules lets him tag along. Then they come across those 50 sisters again. They do not look pleased. "Run," Hercules advises, taking his own advice. The sisters give chase, but Salmoneus isn't fit enough to run for long. "Don't worry -- they won't hurt you," Hercules tells him, still running. The women catch Salmoneus, and prescribe "the treatment" as punishment for his lying to them.

Castor is praying to Hera, promising her Hercules' head. He is interrupted by a man in black armor. This man is not impressed by Castor's boasts: apparently Hera has sent him to be sure Hercules dies. Should the cyclops fail, this man has the power to summon Hera's executioners. This threat terrifies Castor.

Poor Hercules is still running -- straight into the cyclops. The cyclops attacks him. Left with no option but to fight, Hercules attacks from the side (having only one eye, the cyclops has no peripheral vision) and knocks him down. Defeated, the cyclops tells him to finish it. But Hercules wants to talk. The cyclops reveals that the villagers have taunted him and called him names all his life, even stoned him, merely because he's ugly. Castor is the only one who has treated him with any respect: hence the cyclops works for him. Hercules points out that that's going to change when castor learns the cyclops didn't kill him and tries to persuade him to fight for the villagers. The cyclops refuses.

On his way back to Trachis, Hercules meets Salmoneus -- naked. Can't help laughing. Salmoneus want to know the details of Hercules' battle with the cyclops: "Did ya beat him?" "You could say that..." Hercules answers, and Salmoneus, assuming Hercules is being modest, fills in the details with his own imagination. At the village, Salmoneus tells his imaginary version of the battle, giving the villagers the impression that the cyclops is dead. When Hercules denies this, Atreus is angry, telling Hercules he should have killed the "freak". Scilla seems to be the only one who understand the cyclops' resentment. Despite the villagers' attitude, Hercules offers to help them re-divert the river ("I like the idea of Hera's grapes dying on the vine.").

The following morning, Hercules is once again confronted by the daughters of Thespius. This time instead of running he talks to them, explaining that he has no intention of fathering a child with any woman he's not in love with. Then he walks away -- they don't follow. Castor is furious with the cyclops for -- as he sees it -- betraying him and abandoning him to Hera's executioners. In his anger, Castor reveal s his contempt for the cyclops, which makes the cyclops realize that it be worth helping the villagers after all: he remembers Scilla, who treated him as a person before he scared her away. While the villagers (even Salmoneus, eventually) work together to divert the river, the cyclops appears. The villagers won't give him a chance, stoning his and refusing to listen, even when both Hercules and Scilla try to defend the cyclops. Disgusted by Atreus' behavior, Scilla follows the cyclops. Hercules tells the villagers she'll be fine: the cyclops won't harm her. He's angry with them himself, and tells them that they caused their own problem with their mistreatment of the cyclops. Scilla's understanding wins the cyclops over and he warns her and Hercules that Hera has loosed her executioners.

Hercules and the cyclops work together to defeat the executioners while a group of the villagers watch. Afterwards, Scilla persuades the villagers to give the cyclops a chance, and he offers to help protect the village as long as they treat him with respect.

Leaving Trachis behind, Salmoneus complains to Hercules that he hasn't sold a single toga. Apparently Salmoneus is going to stick to Hercules like glue...until the daughters of Thespius appear on the road again. Hercules gets ready to run. But this time they're not interested in him. It seems they've decided that Salmoneus will do instead. Salmoneus is very happy to oblige, and an amused (and no doubt relieved) Hercules continues his journey alone.
http://www.whoosh.org/epguide/herk/h102_eye.html



CAPS/ CAPTURAS:
https://www.facebook.com/media/set/?set=a.1020023264684701.1073741866.126848074002229&type=3&uploaded=26





THE EYE OF THE BEHOLDER
O OLHO DO OBSERVADOR

História original de John Schulian


Hercules estava correndo por uma praia, e parecia assustado com alguma coisa. Não era nenhum monstro que o perseguia, mas um bando de ... mulheres! E não eram Amazonas furiosas, e sim as 50 filhas do Rei Thespius, e o que elas queriam era ... gerar um filho dele. Souberam que ele era um homem honrado, bom, corajoso e leal ... para além de ser simplesmente o filho favorito do poderoso Zeus e um homem extraordinariamente belo.
Ele conseguiu despistá-las, e se refugiou em uma taverna. Ele não conseguia fazer o proprietário e outros ali presentes verem por que isso era um problema para ele ( a maioria dos homens estava, no fundo, com uma tremenda inveja dele ...)
Foi então que um sujeito lhe perguntou o que ele faria para resolver o problema do ciclope (um gigante de um olho só) que aterrorizava o povoado de Trachis. Hercules viu aí uma boa oportunidade para se livrar daquelas insistentes donzelas, e partiu para lá.
O tal monstro era tido como guardião das vindimas de Hera, e isso por si só já era motivo para que Hercules se dispusesse a combatê-lo. Mas, com certeza, cuidar de um ciclope era muito melhor do que lidar com as 50 princesas ...
Enquanto isso, numa certa estrada, um humilde caminhante era desafiado pelo ciclope, que se colocara na frente dele e o impedia de continuar seu caminho. O gigante simplesmente pegou o pobre homem pela túnica e o chutou, arremessando-o bem longe, na direção de uma distante colina.
E quando ele caiu sobre uma árvore e ficou dependurado num galho de cabeça para baixo,, foi visto por Hercules, que correu a ajudá-lo. O homem milagrosamente não estava ferido, e disse chamar-se Salmoneus. E ficou admirado em saber quem era aquele homem que o ajudara. Ele esperava que o filho de Zeus desse uma boa lição naquele ciclope ... e disse que era vendedor de togas. Ele ofereceu uma de suas peças para Hercules, mas este, que nem sabia o que era uma toga, não se interessou. Mas concordou em acompanhá-lo até o povoado.
Mais adiante, três camponeses estavam tentando corrigir o curso de um riacho, que tinha sido desviado pelo ciclope, e a falta de irrigação já estava prejudicando as lavouras. Um deles, numa atitude de desespero, desafiou o gigante, e acabou sendo morto. Os demais fugiram aterrorizados, e encontraram Hercules e Salmoneus. Os camponeses contaram que o ciclope havia desviado o curso do rio para irrigar as vindimas de Hera, e Hercules prometeu ajudá-los.
E naquela noite, os aldeões fizeram uma festa de boas-vindas para Hercules, mas no meio das comemorações, surgiram as filhas de Thespius, que haviam descoberto onde estava o filho de Zeus e o cercaram. Hercules escondeu-se, e Salmoneus pensou rápido. Ele foi até as donzelas – que na verdade eram muito bonitas – e lhes disse que Hercules tinha seguido na direção a Atenas. Elas então se foram naquela direção.
Ao amanhecer, Scilla, uma camponesa da aldeia, estava numa campina, colhendo flores, quando o ciclope apareceu, e ela, aterrorizada, correu, deixando cair seu xale.
E Salmoneus estava conversando com Hercules, dizendo-se bastante impressionado o quanto ele tinha poder de atrair as mulheres. Mas Hercules replicou que elas somente queriam seu corpo, e ele jamais se entregaria a mulher alguma, se não fosse por verdadeiro amor.
Scilla retornou ao povoado e contou o que lhe acontecera. Sua história enfureceu os homens, e um deles, chamado Atreus, chegou a chamar Hercules de covarde, por não ter ainda matado o ciclope. E assim, Hercules foi forçado a procurar o gigante.
Havia um certo home chamado Cástor, que supervisionava os vinhedos de Hera, e um servo veio avisá-lo de que Hercules estava a caminho. Cástor, de forma prepotente, replicou que nada tinha a temer, porque o “seu” ciclope iria dar conta do filho de Zeus, e ele levaria a cabeça do mesmo para Hera no próximo festival. E quando ele foi ter com o gigante, encontrou-o sentado numa caverna, parecendo triste, e segurando um xale vermelho nas mãos. Ele não queria lutar com Hercules, pois disse não ter nada contra o semideus. Cástor reconheceu o xale da camponesa Scilla, e ameaçou tomar providências severas sobre a questão, para provocar a ira do gigante.
Enquanto isso, Salmoneus tinha seguido Hercules, determinado a testemunhar o que ele faria com o ciclope. De repente, lá estavam novamente as filhas de Thespius atrás dele! Eles correram, e Salmoneus, é claro, não foi suficientemente rápido ... elas o agarraram e lhe deram seu “tratamento especial”, o que deu tempo a Hercules para despistá-las mais uma vez.
Castor estava rezando para Hera, prometendo à deusa a cabeça de Hercules. De repente, surgiu um homem desconhecido, envergando uma armadura negra, que aparentemente fora enviado por Hera, para ter certeza da morte do filho de Zeus. Castor então soube que aquele estranho guerreiro era na verdade um dos executores de Hera, e ficou amedrontado.
Hercules ainda estava correndo ... bem na direção do ciclope! E logo o gigante o atacou, e ele não teve outra opção senão lutar. Hercules sempre se colocava de um lado do gigante, que por ter somente um olho, não tinha visão periférica como as pessoas comuns. Não demorou muito, e Hercules o golpeou e conseguiu derrubá-lo. Surpreendentemente, o gigante, após ser derrotado, disse ao filho de Zeus que estava tudo acabado, ele não ia lutar mais. Queria conversar, e Hercules sentou-se para ouvi-lo.
O ciclope então revelou que os moradores do povoado sempre o haviam escorraçado, chamando-o de uma infinidade de nomes, por causa de sua aparência, e ele acabara por se isolar. O único que o tratava com respeito era um homem chamado Castor, e desde então ele o servia. Hercules depois descobriu que o tal sujeito era na verdade um oportunista, que se aproveitara da companhia do gigante para se apropriar daqueles campos, impedindo os outros agricultores de cultivar a terra. Ele propõe um plano ao ciclope: reaproximar-se novamente dos aldeões de lutar ao lado deles contra Cástor. O gigante a princípio recusou.
Hercules voltou a Trachis, pensativo, e no caminho qual não foi sua surpresa ao ver Salmoneus ... completamente nu! Não conseguiu conter as risadas. Salmonaus quis saber dos detalhes da luta com o ciclope, e o filho de Zeus lhe contou o que acontecera. Salmoneus mal podia acreditar. Mas, decidido mais uma vez a “limar a barra” do amigo, foi ele mesmo contar sua própria versão da batalha aos aldeões, fazendo-os crer que o gigante estava morto. Mas, quando Hercules contou a verdade aos aldeões, esses novamente o censuraram. Mas Hercules lhes fez uma proposta: ele mesmo iria corrigir o curso do rio, pois apreciava a idéia de ver as vindimas de Hera secarem ...
E assim foi feito.
Entrementes, Castor também estava furioso, mas com o ciclope, por ter deixado vivo o filho de Zeus. E passou a tratar de forma cruel o pobre gigante.
As filhas de Thespius voltaram a perseguir Hercules, mas dessa vez, em vez de fugir, ele parou para conversar com elas. Ele lhes disse que não tinha a mínima intenção de gerar um filho com qualquer mulher, se não a amasse. E, sem olhar para trás, afastou-se delas. Elas não o seguiram. A que parecia ser a líder, vendo-o se afastar, ficou pensativa, e comentou com suas irmãs que acabara de descobrir o que fazia de Hercules um homem tão honrado ... e disse que era hora de retornarem à casa deu velho pai. Aprenderam uma grande lição ...
O ciclope apareceu quando os camponeses estavam trabalhando no rio, e eles o receberam a pedradas. Hercules e Scilla, comovidos, colocaram-se ao lado do gigante, e a moça, desgostosa com o comportamento dos outros, seguiu-o quando ele se afastou. Hercules disse aos aldeões que ele não a machucaria, e que eles é que deviam repensar suas atitudes, antes de julgar pelas aparências.
Uma vez junto ao gigante, Scilla e Hercules o confortaram, dizendo que não estavam ali para brigar ou hostilizá-lo. Ele então lhes revelou que Hera enviara seus guerreiros das trevas para matá-los.
E quando os guerreiros chegaram, o ciclope, Hercules, Scilla e os outros lutaram juntos e conseguiram derrotá-los. O pérfido Castor era o verdadeiro culpado, e acabou sendo morto.
Mais tarde, Scilla conseguiu convencer os aldeões a tratar o gigante com mais respeito, pois ele não era uma criatura maligna ... só queria viver em paz.
Hercules e Salmoneus deixaram o povoado, e o segundo reclamou que não conseguira vender uma única toga. Ele gostara da companhia de Hercules, e o filho de Zeus tinha uma enorme paciência de ouvir as histórias pitorescas do amigo. Porém, mais adiante, ele despediu-se, dizendo que tinha que seguir sua jornada sozinho.


Última edição por Myriam Castro em Sab Ago 29, 2009 11:25 am, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: HÉRCULES A SAGA - I-02 - The Eye of the Beholder

Mensagem  Myriam Castro em Sex Ago 28, 2009 8:37 pm

Que tal? Gostaram? ...
Esse é o segundo episódio da I Temporada - a Mara já tinha colocado o primeiro, em outro tópico.

Foi um episódio que nos ensinou duas importantes lições de vida:
- Nunca julgar alguém pelas aparências ... pode-se cometer enganos terríveis.
- A Família é sagrada aos olhos de Deus ... e o amor deve ser sempre o alicerce para se constituir uma. Um homem e uma mulher devem se entregar um ao outro apenas se verdadeiramente se amarem ... o verdadeiro amor está muito além das sensações da carne.


_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: HÉRCULES A SAGA - I-02 - The Eye of the Beholder

Mensagem  Myriam Castro em Sab Ago 29, 2009 11:48 am

Outro "pequeno" detalhe: por acaso vocês chegaram a imaginar Hercules vestido com uma toga ...?
Daquelas mais curtas, claro ... e que ainda deixem seus braços possantes de fora ...?


:leech: :drooling2:

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: HÉRCULES A SAGA - I-02 - The Eye of the Beholder

Mensagem  mara em Dom Ago 30, 2009 6:32 pm

Myriam, que delícia de rever, da mesma forma que Andrômeda.
Imagino Hércules SEM toga, querida...
Hércules, apesar da perda imensa e dolorosa, se lembra, com a ajuda da escrava, que a melhor forma de honrar a memória de sua família morta é continuar a ajudar.
Obrigada, querida! :good: :kiss:

_________________
No one should never give up, ever! Do what makes you happy, what you are passionate about!

mara

Número de Mensagens : 18928
Location : São Paulo, Brasil
Data de inscrição : 02/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: HÉRCULES A SAGA - I-02 - The Eye of the Beholder

Mensagem  Convidad em Dom Ago 30, 2009 7:35 pm

Que legal! Acabamos de falar na toga lá no outro tópico e eu não tinha ainda lido este! Mas é só para provar que estamos mesmo conectadas!
Adorei ler!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: HÉRCULES A SAGA - I-02 - The Eye of the Beholder

Mensagem  Convidad em Qua Set 02, 2009 9:10 pm

Naqueles detalhes de Hércules eu tinha achado a explicação para o título do episódio que vem de um provérbio inglês que diz “Beauty is in the eye of the beholder". ( seria o correspondente ao nosso; “a beleza está nos olhos de quem vê”).

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: HÉRCULES A SAGA - I-02 - The Eye of the Beholder

Mensagem  Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 6:12 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum