A SAGA: V-16 - Saving Light From a Black Sun

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A SAGA: V-16 - Saving Light From a Black Sun

Mensagem  Myriam Castro em Sex Jun 11, 2010 3:00 pm



BRIEF ENGLISH SINOPSIS:
Original Air Date—18 February 2005
When the blinking sun of the Seefra system goes dark for an extended period of time Dylan takes the opportunity to study the workings of the artifice in the hopes of finding a way of fixing the broken sun. Harper discovers a maintenance protocol built into the sun by the Vedrans that will allow a further extended period of time to study the sun.



CAPS/ CAPTURAS COMEÇAM AQUI:
http://s953.photobucket.com/albums/ae17/galeria-saga-andromeda/?action=view¤t=516_cap000.jpg




V-16 - SAVING LIGHT FROM A BLACK SUN
LUZ SALVADORA DE UM SOL NEGRO

História original de John Kirk


“Nada conceda.
E observe os tolos buscarem para sempre.”

Psalms of Koscs
“Arquivos Vedrans” - Lot 0049


A cada 50 anos, Methus-2 piscava por uma hora. Enquanto os habitantes de Seefra preparavam-se para a celebração, Dylan e sua equipe planejavam mergulhar no coração do sol artificial para tentar consertá-lo. Harper havia descoberto que parte daquele costume era representado simbolicamente por um bloco de carbono. O que os nativos não sabiam, era que aquele “bloco” era na verdade um novelo de nano-fibras de carbono que continha o desenho estrutural de todo o sistema. E enquanto o engenheiro procedia à extração das informações vitais, o sol “piscou” como esperado, e a Andromeda penetrou pela superfície e seguia direto para a central, localizada na parte sul.
Harper disse a Beka e Doyle que aquele novelo de carbono Vedran também continha um código para manter o sol “apagado” por três horas. Assim, os reparos deveriam ser executados dentro desse prazo. Ele baixou os mapas para a memória de Doyle e enviou as duas, avisando Rhade que terão um mapa bastante preciso para guiá-los à central de fusão do sol. Conquanto as comunicações fossem ficar erráticas uma vez que estivessem no interior do sol, Dylan permanecerá a bordo da Andromeda para atuar como ligação com Harper (que estava na superfície do planeta) e a equipe de reparos lá em cima.
Enquanto Trance e Rhade caminhavam pelo labirinto, ela se preocupava com o óbvio: que aquele sol não era apenas uma “máquina” quebrada, mas abrigava uma forma de vida, talvez um avatar de si mesmo ...
Com Trance e Rhade procurando o pólo sul, Beka e Doyle começaram sua busca no norte. Qualquer das equipes que chegasse primeiro faria os reparos necessários. A outra colheria o combustível para Andromeda.
Rhade captou um sinal intermitente de Dylan justo quando uma porta se fechava bem no seu caminho. O mesmo aconteceu com Beka e Doyle. Doyle revisou sua cópia do diagrama e descobriu que a central tinha a capacidade de mudar sua configuração, de maneira a impedir eventuais sabotadores. O Nietzschean tentou uma porta lateral. Quando percebeu que a retaguarda estava livre, fez um sinal para Trance, mas ela sentiu uma presença maligna se aproximando.
De volta ao planeta, Harper acordava de um breve cochilo para descobrir que ambos os sóis queimavam, muito embora as três horas não tivessem se esgotado ainda. Ele ficou aflito, e chegou a culpar a si mesmo pela perda dos amigos. Completamente desolado, ele bebeu até se embriagar, quando notou na tela do cristal a forma inconfundível de Andromeda, ilesa, e em tempo real. A nave estivera protegida pelo manto. O sol apagou novamente.
Trance e Rhade sentiram o brilho, e perceberam que seu equipamento fora incinerado. Sem mapa ou relógio, eles deviam seguir a intuição dela, porquanto os sistemas de Doyle também estivessem off-line devido ao brilho. Uma Trance encapuzada caminhava para dentro da luz, e então seguia por uma nova passagem.
Beka a perseguiu até que as portas fecharam-se ao seu redor, aprisionando-a.
Rhade descobriu um determinado ponto, de onde pode contactar Dylan, mas Trance atravessou uma porta e trancou-a, prendendo-o também. Ele chutou a parede, frustrado, e , surpreso, viu-a despedaçar-se. Toda a estrutura era feita de ... carbono!
Dylan cruzou as referências do diagrama Methus-2 com o desenho Vedran da nave. Analisando os arquivos da nave, Dylan determinou que Rhade estava bem próximo de seu objetivo.
Trance seguia por um corredor e encontrou-se frente a frente com sua “gêmea” encapuzada (!), que tentou convencê-la a juntar-se novamente à Nebulosa, como uma essência perfeita e indivisível. Trance recusou, mas sua gêmea a aprisionou, deixando apenas um corredor para seguir.
Entrementes, Beka permanecia presa, mas acabou descobrindo que estava encerrada em carbono frágil, e tratou de abrir seu caminho. Doyle subitamente retornou on-line, e a ouviu socando as paredes. Ela descobriu um ponto fraco numa delas, e a derrubou, libertando-se. Elas então perceberam que os Vedrans guardavam seu estoque de deutério combustível em nanofibras de carbono estáveis. Ela comunica isso a Rhade, mas foi interrompida por Dylan, ordenando-lhe que regressasse à Maru e usasse os motores para aquecer o carbono e liberar o combustível, e assim poderiam abiri seu caminho e voltar à Andromeda.
Então, ele captou sinal da Central, e soube que era Rhade. Eles descobriram um cilindro de platina envolvido em cabos de fibra óptica, ligado a um timer que indicava contagem regressiva para a ignição. Ele examinou a imagem na tela e descobriu que os conduítes tinham falhas estruturais por falta de manutenção. Ele então foi ao console de comando e canalizou uma carga de energia tal, que ativou as fibras, esperando que não entrassem em colapso e acendessem a estrela cedo demais. Ele então enviou um código, e os outros saíram correndo para a saída, sem ver Trance e sua gêmea saírem de detrás do cilindro. A gêmea esperava arruinar a tarefa deles, mas Trance se adiantou e a impediu, os dois seres girando mais e mais rápido, parecendo incendiar o cilindro
Methus-2 acendeu uma vez mais, justo quando a gêmea de Trance surgiu, e apagou-se novamente. A porta se abriu, e Dylan viu Trance de pé diante do cilindro. Eles então fecham a porta.
Dois Slipfighters voavam à toda para longe da central, em direção à Andromeda, mas Beka e Doyle ainda estavam na superfície. Os motores falharam quando elas tentaram aquecer o carbono para coletar o deutério combustível. Dylan partiu com Andromeda para recolhê-las. Com menos de dois minutos restantes, elas foram laçadas pelos cabos de reboque da grande nave, que arrastou a Maru. Bem a tempo ... elas se salvaram já com faíscas no casco. Por pouco todos não conseguiam se afastar do sol incandescente.
Trance constatou que Methus-2 finalmente fora estabilizado ... seu piscar cessara!
Mais tarde, Beka foi procurar Dylan e lhe contou sobre a Trance encapuzada que vira na central, aquela que a aprisionara. Dylan sabia que a “sua” Trance não seria capaz de traí-los ... mas ele não chegou a ver que havia uma capa jogada a um canto, no chão da central de Methus-2.


Última edição por Myriam Castro em Qua Dez 15, 2010 7:13 pm, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A SAGA: V-16 - Saving Light From a Black Sun

Mensagem  Myriam Castro em Sex Jun 11, 2010 3:06 pm

Mas que tecnologia interessante, não?
Um sol artificial, que possuía uma espécie de "esqueleto", e feito de carbono!
E sinistra, a aparição de uma "outra Trance", ao que parecia disposta a impedir que Dylan e sua equipe conseguissem estabilizar o sol, pelo menos para que sua existência fosse prolongada por tempo suficiente para que pudessem salvar os habitantes do Sistema Seefra.
O manto escuro caído a um canto, sem que Dylan notasse ... será que uma "falsa Trance" havia tomado o lugar da outra ...?


Última edição por Myriam Castro em Qua Dez 15, 2010 7:14 pm, editado 1 vez(es)

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A SAGA: V-16 - Saving Light From a Black Sun

Mensagem  mara em Ter Jun 15, 2010 11:47 am

É interessante o que um ponto de vista pode fazer, não, Myriam? O "povo" de Trance pensava de forma tão diferente da de Dylan que as coisas que faziam pareciam abomináveis...
Muito legal rever, um episódio tenso!

_________________
No one should never give up, ever! Do what makes you happy, what you are passionate about!

mara

Número de Mensagens : 18928
Location : São Paulo, Brasil
Data de inscrição : 02/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A SAGA: V-16 - Saving Light From a Black Sun

Mensagem  Myriam Castro em Ter Jun 15, 2010 7:05 pm

Linda montagem! ...

_________________
"Não é assim que as pessoas que se amam fazem ?"(Dylan Hunt)

Myriam Castro

Número de Mensagens : 4767
Idade : 56
Location : Minas Gerais - Brasil
Data de inscrição : 22/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A SAGA: V-16 - Saving Light From a Black Sun

Mensagem  mara em Qua Jun 16, 2010 9:23 am


_________________
No one should never give up, ever! Do what makes you happy, what you are passionate about!

mara

Número de Mensagens : 18928
Location : São Paulo, Brasil
Data de inscrição : 02/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A SAGA: V-16 - Saving Light From a Black Sun

Mensagem  Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 11:45 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum